Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um adolescente coisificando coisas de adultos

By: Rúben de Matos

Um adolescente coisificando coisas de adultos

By: Rúben de Matos

Salvador e Luísa: OBRIGADO!

O Festival RTP da Canção faz desde sempre parte da minha vida. Lembro-me como se fosse hoje das noites em que vislumbrava na televisão o Festival da RTP e a Eurovisão e de no dia seguinte nos cafés sentir o desânimo e o pessimismo no ar: "Portugal... Já se sabe... Achas que alguma vez vamos ganhar?". A minha esperança dizia que sim.

Vibro desde sempre com o espírito do Festival RTP da Canção. Como apreciador de boa música, é sensato da minha parte reconhecer que nos últimos anos a música presente no Festival não era da melhor qualidade, mas ainda assim a expetativa dos resultados na Eurovisão era grande. Neste sentido, a RTP , após um ano de intervalo no que à participação de Portugal diz respeito, decide no ano de 2017 fazer renascer o espírito de celebração e exaltação da música nacional. Devo confessar que a missão foi cumprida, e bem cumprida! Boa música fez-se ouvir e sentir. Nomes consagrados da música portuguesa e nomes desconhecidos que prometiam tornar-se nomes fortes do panorama musical português participaram na edição de 2017 do Festival. A música do Salvador Sobral não era a minha favorita e estava longe de imaginar o sucesso estrondoso que a canção fez no espaço de menos de 24 horas.... Mas rapidamente rendi-me ao espírito de simplicidade da música, à sua essência.

Na chegada a Kiev o Salvador marcou tudo e todos pela sua personalidade e espírito de simplicidade, numa passadeira vermelha cheia de cantores de palmo e meio que já se achavam vedetas. A maior parte das apostas atribuía a Portugal um honroso segundo lugar, mas no espaço de dias esse cenário inverteu-se e logo após a primeira semi-final Portugal já era favorito à vitória. Todos os portugueses estavam rendidos e acreditavam com cada vez mais força numa vitória para o nosso país!

A Eurovisão tornara-se num Festival de música mainstream, comercial, cheia de efeitos, luzes... No fundo, música sem a sua verdadeira essência. E a Luísa Sobral escreveu e compôs uma música tão pura, que ganhou ainda mais magia com a interpretação singular do Salvador. Esta vitória é não só a prova viva de que a música portuguesa está de boa saúde, como também é o retrato vivo de que uma canção pode valer por si mesma sem precisar de artificialidade alguma. Obrigado Salvador. Obrigado Luísa. Quem diria que aquele miúdo irreverente, despreocupado que participou nos Ídolos poderia unir e fazer feliz uma nação! É por estas e por outras que tenho cada vez mais orgulho em ser Português! 

 

Salvador Sobral: "A música não é fogo de artifício... A música é sentimento!"

 

O Costa é que é esperto!

Já perdi a conta... Já não escrevo aqui no blog, deve estar perto de uns bons meses. 

Coisas e mais coisas para fazer, são o impedimento. Mas hoje consegui arranjar um tempinho. E o assunto da ordem do dia é sem dúvida a atual situação política vivida em Portugal. Confusão e mais confusão acho que são os termos mais adequados e que melhor conseguem sintetizar o atual estado de Portugal e do Mundo. 

Novo Governo PS, tomou posse ontem e o resto já sabem. Se querem que diga a verdade, acho que isto não passa tudo de uma "palhaçada", perdoem-me a expressão. António Costa estava sossegadinho na Câmara de Lisboa. Como aquilo não lhe chegava, decidiu fazer frente a António José Seguro, na liderança do Partido Socialista. Ganhou, deixou a Câmara nas mãos do Medina, e o próximo objetivo estava mais do que traçado: assumir a liderança do governo. Mais do que convencido da vitória, as sondagens já anteviam a derrota, derrota essa que se confirmou no dia 4 de outubro. Não conformado, depois de ter tentado, conseguiu destronar o governo PSD/CDS. 

E acho incrível que as declarações de ambos os partidos de esquerda, atribuissem a derrota ao PSD/CDS, quando na verdade o grande derrotado foi António Costa e o Partido Socialista. A vontade dos portugueses não foi respeitada. SIM... eu sei que era vontade de todos, pelo menos aparentava ser, que fosse o PS a assumir a liderança do país. Mas não foi isso que os resultados ditaram. E como vivemos em democracia, os resultados eram mais do que válidos. E o PSD/CDS é que deveriam ter ficado no poder, independentemente das nossas vontades. Mas depois de umas palavrinhas para um lado, outras palavrinhas para outro, António Costa lá conseguiu que o Orçamento de Estado fosse chumbado na Assembleia. Foi o fim do governo direita. E o início de um governo que esperemos ser de mudança. Sou da opinião que se António José Seguro fosse o Secretário Geral do PS, teria sido o PS o vencedor das eleições. Bom, mas agora esperemos que os tempos que nos esperam que sejam de mudança e, de preferência, para melhor. O Costa é que é esperto! Conseguiu virar o jogo para o seu lado.

Perdemos: não interessa! O que interessa é que ajudámos pessoas que precisam!

Ontem a seleção nacional jogou um amigável com a seleção de Cabo Verde. Perdemos.Temos que admitir. Mas também era só um jogo amigável. E o que interessa é que ajudámos. Ajudámos todos os cabo-verdianos atingidos pela erupção vulcânica na Ilha do Fogo. Isso sim é que interessa! Ajudámos pessoas que precisam!

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D